Co-dependência maternal

Tratamentos > Co-Dependência > Co-dependência maternal
Anónimo

A mãe do meu namorado sofria de co-dependência dos filhos.

Eram incríveis as manipulações que fazia para ter sempre os filhos por perto, chegando mesmo a prejudicar-lhes a vida amorosa. Apesar de só ter assistido a esta situação por poucos anos, foi o suficiente para perceber muitos dos dramas amorosos que tiveram no passado.

Quem é que estava para aturar uma sogra possessiva com os filhos? E o pior é que eles “deixavam-se enrolar” nos esquemas dela, sem perceberem que não passava tudo de esquemas. Se os filhos lhe diziam que iam sair, ela inventava que não se sentia bem e que ia desmaiar, se eles não faziam algo que ela pedia, dizia logo que estava frágil e que não podia fazer esforços… Com namoradas então, era o filme completo.

Nunca gostava de nenhuma, eram todas sem formação e arranjava imensos esquemas para os impedir de sair com elas. Mas depois, fazia as coisas tão bem, que conseguia fazer-se de querida para elas, mas nas costas chegava mesmo a inventar mentiras, do género: “ah ela disse que não estava nos planos dela vir a ter filhos contigo”… E no meio de tudo isto, lá iam eles ficando sozinhos, mas sem se aperceberem da manipulação da mãe.

Entretanto um dos filhos foi estudar para longe de casa e o outro foi viver sozinho. Como devem imaginar foi o drama, fazia-se de doente prestes a morrer e estava constantemente em casa deles, não lhes dando espaço. Até que surgi na vida do meu namorado e percebi logo todos estes esquemas. Cansada de tanta manipulação consegui enrolá-la nas suas próprias mentiras, fazendo os filhos perceberem que ela estava com uma doença, mas que não era terminal, era co-dependência.

Depois de alguma pesquisa, consegui levar o meu namorado e o irmão ao centro, para terem mais elementos sobre este problema. Fez-lhes um click e disseram à mãe, que só manteriam uma relação com ela, se entrasse em tratamento. Foi um drama, porém depois de muito barafustar, lá consentiu a entrar em tratamento. Não acredito em milagres, mas aqui foi feito um…

Terminado o tratamento parecia uma nova pessoa. Equilibrada e com vontade de aproveitar o resto da vida. Planeou logo um cruzeiro. Os filhos nem queriam acreditar, mas também eles estão muito felizes com estas mudanças.

Agora sim, conseguem ter uma relação saudável com a mãe.

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X