Jogo vencido

Anónimo

O maldito jogo ia destruindo a minha vida e a de toda a minha família. Sempre gostei de bons desafios, mas também sempre tive um problema em saber controlar as situações de risco. Com a descoberta dos jogos de aposta online sempre me ia distraindo. Apostava cerca de dois euros por dia, mas como de vez em quando a sorte estava do meu lado, começava logo a pensar que um dia tinha que aumentar a aposta.

Assim subi para cinco euros, posteriormente para dez, até que deixei de controlar. Mesmo quando ganhava, não parava e lá apostava mais. Aos poucos tive que me ir desfazendo de certas coisas e durante algum tempo ainda consegui esconder da minha mulher, mas quando já tinha vendido o carro, a mota, o barco, bens em ouro, uma carta do banco levantou suspeitas na minha mulher.

Há três meses que a prestação da casa não era paga. Confrontado com a situação, menti-lhe e disse que as coisas no trabalho não iam bem. Mas continuei sem pagar e o dinheiro que dava em casa era cada vez menos. Ela acabou por perceber a situação, eu estava viciado no jogo.

Ameaçou-me com o divórcio e se havia coisa que não queria perder era o amor dela.

Entrei em tratamento por livre vontade, aprendi a lidar com as ansiedades que me faziam jogar e criei amor-próprio que me ensinou a estimar o que tenho na vida.

Aqui voltei a ser eu!

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X