Bulimia de dor

Anónimo

Dar o meu testemunho é um pouco doloroso, porque a bulimia esteve muito presente na minha vida, mas principalmente na vida da minha mulher. Quando a conheci, já ela sofria deste distúrbio há 4 anos, porém eu não fazia a mínima ideia de que se tratava, nem tínhamos abertura para tal.

Tivemos um namoro à moda antiga e depois de casámos. Só a partir daí é que me apercebi da gravidade da situação. Qualquer coisa que comia, nem que fosse uma simples peça de fruta, ia a correr para a casa de banho. Perguntei-lhe o que se passava e disse que sofria de uma hipersensibilidade do estômago.

Durante uns tempos acreditei, até que me informei melhor e foi aí que conheci a bulimia. Falei com ela e pedi-lhe que se tratasse, antes de termos o nosso primeiro filho. Ela não estava muito confiante, mas lá acedeu.

Neste centro, aprendeu a controlar a doença e a levar uma vida equilibrada e feliz. Regressou a casa e já somos três. Levamos uma vida simples, mas com esta luta vencida, posso dizer que somos felizes.

Este centro marcou a diferença na nossa vida.

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X