Aproveitar as Oportunidades

Tratamentos > Drogas > Aproveitar as Oportunidades
Anónimo

"Desde muito novo que comecei a recorrer a drogas com o objectivo de abafar os meus sentimentos para assim lidar com o alcoolismo e epilepsia do meu pai, com a minha personalidade, com o afastamento da minha mãe e respectiva família; teimei muitas vezes em não aceitar os outros como eles são e só saí prejudicada com isso. Levou-me à solidão, levou-me a desenvolver um orgulho arrogante em mim, culpabilizando tudo e todos. Vitimizando-me todos os dias. Adquirindo ressentimento atrás de ressentimento para com a minha mãe, irmão, avós, etc...

O que é que ganhei com isso?

Anos de afastamento da minha mãe e ter passado sozinha por acontecimentos sem necessidade. Tudo isto porque não soube pedir AJUDA.

Ao longo dos anos de adolescência e juventude passei pelo haxixe, pastilhas, ácidos, mdma (festas de trance, tecno, etc...) até cair na maldita COCAÍNA. Maldita porque me fez abraçar a Heroína.

A dada altura suspendi o curso que estava a tirar (faltava-me 3 meses para acabar) para passar a acompanhar o meu paiàs sessões de quimioterapia pois tinha-lhe sido diagnosticado cancro maligno. Durou poucos anos até que acabou por falecer. A partir daí tornei-me oficialmente toxicodependente, pois já fazia parte do meu dia-a-dia usar.

Desenvolvi uma relação disfuncional que me levou a traficar e a viver o meu quotidiano para aquela vida miserável. Perdi respeito por mim e até pelo meu corpo pois o sexo (para mim) estava associado à cocaína.

Certo dia disse BASTA mais uma vez. Mas desta vez era diferente. Tão diferente que coloquei a minha casa à venda para ir para tratamento e para começar a cuidar de mim.

Peguei no telefone para pedir ajuda pela primeira vez na minha vida. A quem? À minha mãe.

Foi aí que se fez um primeiro milagre: o amor incondicional prevaleceu e juntas começámos uma luta que dura até hoje.

Entrei em VillaRamadas sem drogas consumidas, com 75 ml de Metadona e com 45 kg.

A partir daqui fiquei em boas mãos. Passado um mês estava sem medicação. Comecei a arranjar os meus dentes, comecei a cuidar de mim e, já era uma pessoa completamente diferente.

Saí para Terapia de Realidade (recaí em tratamento na segunda droga de escolha - sexo) e não quis voltar mais.

Não terminei o tratamento e não soube aproveitar a oportunidade porque hoje já tenho mais uma recaída em cima, voltei à metadona e estou sem usar há alguns meses.

Vivo um dia de cada vez, voltei a estudar para acabar o 12.º ano, tenho uma mãe maravilhosa que acredita em mim e não estou sozinha, tenho todos os dias na lembrança.

VILLA RAMADAS e VIVER O SÓ POR HOJE

Obrigado por tudo"

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X