Desejo insaciável

Tratamentos > Vícios de sexo e amor > Desejo insaciável
Anónimo

Sempre fui um jovem muito activo sexualmente. Com apenas onze anos tive a minha primeira experiência sexual com uma rapariga mais velha.

Confesso que não gostei, mas da segunda vez fui bom. A partir daí nunca mais parei. Com o avançar da idade, a necessidade de me satisfazer sexualmente era cada vez maior, só que tinha um grave problema, tinha-me tornado um homem gordo e pouco atractivo para as mulheres.

Como não tinha sucesso com o género feminino de forma espontânea, não tive outra saída, a não ser recorrer ao serviço de prostitutas. Como não tinha problemas monetários, todos os dias lá estava eu num bar de alterne, onde era cliente habitual.

Os anos iam passando e eu cada vez cioso de saciar o meu desejo. Só que queria sempre mais, chegando a estar com cinco mulheres por noite. Comecei a ficar de tal forma descontrolado, que além do dinheiro que gastava, começava a por em causa o trabalho. Chegava atrasado a reuniões importantes, fazia extensas pausas de almoço, manipulava dinheiro da empresa para ceder a caprichos de algumas das acompanhantes que ia tendo…

O certo é que me estava a “afundar” e não havia forma de me aperceber de tal, tanto que um dia, quando dei por mim, eram cinco da tarde e estava num quarto de hotel com mais quatro raparigas que faziam de tudo para me satisfazer.

Só que a forma como elas lidavam comigo, era como se de um objecto se tratasse. Devem ter-me sempre tratado assim, mas naquele dia houve um click e a partir daí comecei a sentir nojo de mim, mas mesmo assim não conseguia controlar este vício, que aos poucos me ia destruindo.

Um dia acordei, depois de mais uma noite louca e senti falta de mais na minha vida: de um amor de verdade, só que sabia que enquanto não lidasse com o vício do sexo, não conseguiria constituir família.

Procurei ajuda e neste centro de tratamento encontrei as respostas de que andava à procura. Não foi fácil ter que partilhar a minha vida e as minhas loucuras com outras pessoas. Tinha medo que me apontassem o dedo, mas pelo contrário, aqui encontrei compreensão e apoio. Aprendi a lidar com as minhas emoções e a ter auto-estima.

Hoje sou um novo homem, arranjei uma companheira a quem não escondi o meu passado e faço planos de ser pai em breve.

Este centro devolveu-me a dignidade e a vontade de abraçar uma nova vida.

Utilizamos cookies para garantir que o nosso site funcione da maneira mais tranquila possível e para analisar o tráfego da web. Se você continuar a usar o site, concorda com nossa Política de Cookies.
OK
Saiba aqui X